usuários online
 
 
 
Fashion Import
 
http://trendytwins.com.br/img/imagens/tit_girls.jpg
Faça parte desse grupo

Ajudinha pros universitários: comprando G/GG e +  

Categoria(s)

por Ana Farias




Meninas, o tópico nada tem a ver com fat pride (aliás a Glorinha deu uma boa explicação pra isso esses dias), mas sim com dificuldades ligadas ao fato de se estar acima do peso, ok?

A Clarisse Medeiros está trabalhando num projeto da faculdade sobre o problema que é comprar roupas quando se está, assim, com excesso de fofura no corpinho (eu! eu!). Quem se identificar e puder ajudar na pesquisa, é rápido, indolor e totalmente anônimo: é só clicar AQUI.

Aliás, o Mulherão tá promovendo um evento bacana aqui no Rio, em Botafogo, no dia 25 de setembro: um Dia de Modelo Plus Size, sessão de fotos pra quem quer iniciar carreira ou só pra se sentir bunita mesmo. Informações AQUI.

...

Aproveitando pra deixar minha opinião sobre o assunto levantado lá pela Glorinha, eu não acho que ser/estar gordo deva ser algo pra se ter orgulho. Assim como ser magro também não. Estar magro, aí já é outra coisa, porque só quem precisa lutar de verdade pra manter um certo peso sabe o problema que é. Quem nasce com predisposição pra ser magro não tem razão pra bater no peito, certo? rs

O que eu acho que deve ser motivo de orgulho é a pessoa que pode dizer "eu não me meto na vida dos outros". Gordura, assim como o outro lado (ou seja, a super falta dela), tem sempre alguma coisa por baixo dos panos. Se não fosse assim, todo mundo escolheria ser magro, uai!

Então assim, orgulho a gente deveria ter é de viver a própria vida e deixar os outros viverem as deles. E isso vale pra absolutamente todo tipo de julgamento que a gente faz: o tipo de corpo, o tipo de roupa, o tipo de salário, o tipo de beleza, o tipo de trabalho, o tipo de postura, e por aí vai. Não matando nem roubando nem magoando, que mal tá fazendo o gordinho ali?

E pra quem tem aquela resposta na ponta da língua "mas é questão de saúde". Primeiro, ainda que seja, o problema é do viciado em açúcar, não necessariamente seu (considerando aqui quem se sente afetado por quem vê na rua, e não quem tem motivos de preocupação com familiares, etc). Segundo, tem muito gordinho saudável, assim como tem muito magro todo estoporado por dentro.

Assim, não vamos nos meter se não tivermos intimidade suficiente com alguém pra chegar e dizer: o que está acontecendo, amiga? Você precisa da minha ajuda? Sim? Não? Qualquer coisa tô aqui. Se não é o caso, não vamos ajudar, também não atrapalhemos criticando. Porque problema e defeito todo mundo tem. Até a Bündchen! Então vamos dar mais atenção ao nosso próprio telhado de vidro, please. Porque só quem calça o sapato sabe onde dói o calo, não é verdade?

Mas enfim, só um comentário. Como diria o Forrest Gump, isso é tudo o que tenho a dizer sobre o assunto. ;)

15 comentários

Oi linda, vim aqui para dizer que criei o meu blog, ha muito tempo eu já era uma leitora assidua do seu blog. Já estou te seguindo, e gostaria que vc me desse seu apoio me seguindo também, pq estou apenas começando!
Beijãão

Ana,
Eu sou muito filha do Trendy!
Já estou inscrita no Dia de Modelo Plus Size, vou me divertir horrores!! (e não deixar ninguém em paz).
Respondi bUnitinha a pesquisa da Clarisse e conheci o blog da Glorinha. kkkkk

bjks
Mel

Hello!
Tá sem inspiração pro make arrasador de hoje?
Resolvemos o seu problema!
Assista o tutotrial Make Turquesa!
HTTP://miltacylas.blogspot.com
Beeijnhos, Tá e Mary!

Preenchi e enviei, mas não apareceu enhuma confirmação, é normal ou foi só comigo?

Oi!
Concordo com tudo o que você disse. Há casos e casos e todo mundo sabe bem da própria vida. Assim como há gordinhos que falam "não sei porque não emagreço" mas comem o dia inteiro pequenas guloseimas, há aqueles que realmente tem dificuldade pra emagrecer, mas por tanto fazerem dietas sabem se alimentar muito bem, melhor do que muitas magras por aí.
Falando em magreza, acharia interessante se a pesquisa se estendesse também pro outro lado da coisa. Quem é magro tem tanta dificuldade quanto de encontrar roupas. Eu sou magra e baixinha, é muito difícil achar uma calça jeans que não precisa ser ajustada. Sapato então... 34 é um número pra criança praticamente. hehe. Sorte das "intermediárias".
Será que eu poderia responder? To vendo que tem perguntas abrangentes sobre a dificuldade de encontrar roupas em geral. Adoraria ajudar.
Meu primeiro comentário aqui, conheci o blog faz uns 2 dias e já adicionei no reader. Adorei!
Beijos!!

Clarisse Medeiros   says 10 de setembro de 2010 17:26

Olá! Primeiro muitíssimo obrigada a todas que estão contribuindo com a pesquisa e ao blog por ter divulgado. Pra fofa do comentário aqui de cima, a questão é que a moda estabeleceu um padrão que vai do 36 ao 42 (44 com muuuuuito boa vontade) e quem não está dentro fica restrito aos paraísos da viscolycra. A ideia do meu projeto é provar que há mercado pra meninas fora deste padrão,com informação de moda e vaidosas que devem ser tratadas como consumidoras que são. A verdade é que a maioria desse público realmente sofre por estar acima do peso, e não abaixo. Mas eu acho ótimo que você nos apresente a sua questão. E claro, pode responder ao questionário ;)

obrigada

Sabe o que é chato? Preconceito. E nada resolve esta atitude! Se você é gordo é preguiçoso, não tem força de vontade, é comilão; se tenta emagrecer, não tem auto-estima, não se aceita como é, precisa de terapia. Sossego, please!

miga
te lovo,te lovo,te lovo ta?
"eu nao me meto na vida dos outros"
e tudo...
como disse outra amiga nossa rs
(Paulinha-Sweetest Person)
somos CUJONES PRIDE haha

E Mel,muito bem vinda flor
se e filha do TT,e "sobrinha" de TITIA GORDINHA RSRSRSRSRS

Disse tudo com essa frase: "orgulho a gente deveria ter é de viver a própria vida e deixar os outros viverem as deles."
Adorei esse post!
Beijos :*

Oi, adorei o post e respondi o questionário, porque acho que temos ter lojas para tamanho brasileiro, não somente para a MEGA magra. Eu me gosto do tamanho que sou, desde menina sou grandona, porque sofrer?? Bjukas, adoro o Trendy.

Ana, estou acima do peso, não é meu peso ideal, mas daí eu querer ficar com meu manquim 38 quando era antes da Gi eu vou ficar é doente. Então concordo com vc, vamos parar de olhar pros outros e olhar pra dentro de si mesma, se tal ou tal pessoa tem um corpo assim ou acolá problema de quem tem. O principal é estarmos saudáveis e felizes. E iso vale tb pra vida financeira, profissional e etc.

Oi, Ana! Muito bom seu post! Participei da pesquisa e vou lá conhecer o blog!
Vc vai participar no dia 25? Depois me fala?
Beijos da Ny!!!

Olá!

Eu leio o blog há algum tempo e não tinha comentado até agora. Achei esse texto muito bom, sucinto, e falando o que precisa ser dito. Concordo em grande parte, apesar de ter um album chamado "fat pride" no orkut.

O que há por trás disso, então? Pessoalmente eu acho que o fat pride, pelo menos não o meu, não é necessariamente orgulho de ser gordo. É orgulho de ser, sabe? Estamos vivendo um momento onde ser gordo é o pior defeito que alguém pode ter pra maior parte da sociedade. E o meu fat pride é simplesmente um jeito de gritar que tenho o direito de ter orgulho de mim, mesmo sendo gorda.

Ok, imagino que não seja assim para a maioria das pessoas que gritam fat pride por aí, confesso. Mas pelo menos pra mim é o que significa =)

Respondido,,,espero que os fabricantes acordem e vejam a enorme parcela de consumidores que eles estão deixando de abranger...e portanto lucrar!

Oi querida! Sempre estive acima do peso, e com o tempo, fiquei gorda. Desde pequena tenho esse problema, e a família por mais que eu me esforçasse em outras áreas (entenda estudo), o importante era o fato de eu ser gorda. Cresci complexadíssima. Não conseguia mudar minha imagem, então não adiantava nada. Por mais voltas que dessem, todo aniversário (mesmo sendo o meu), almoço, reunião ou festa de família o assunto era tocado. Me ajudou? Fiquei magra e virei modelo por causa do rosto bonito? Que nada. Até hoje sinto vergonha de mim quando engordo um kg mais. E até hoje sinto vergonha quando emagreço 1kg, por dveria ter me esforçado mais. Nessa última década, muitas meninas que nem estão gordas, tem passado pela mesma situação, e isso é ridículo.
Excesso de cobrança não ajuda ninguém, e ainda pode piorar o estado da pessoa fazendo ela se sentir culpada.
Apontar o defeito/problema da pessoa nunca será estender a mão.
Abaixo a hipocrisia, please.
Vai ver que é por isso que o fat pride cresceu tanto.
Sou gorda, sem orgulho de ser gorda. Mas gorda também é mulher.
Mulher também é ser humano.
E nós temos orgulho de estarmos vivas mesmo acima do peso.

Postar um comentário

2010 Trendy Twins - todos os direitos reservados Desenvolvido por Projecto Comunicação