usuários online
 
 
 
Fashion Import
 
http://trendytwins.com.br/img/imagens/tit_girls.jpg
Faça parte desse grupo

Twin da Moda: Orgulho de Ser Gordinha  

Categoria(s) ,

por Ana Farias




Leitorinhas queridas, tive que fazer uma breve pausa no meu intensivo sobre botas, por dois motivos: primeiro porque hoje é meu aniversário, então comemoraçãozinha, gente em casa, eu ia ficar mega sem tempo de terminar os looks das botas pra postar; segundo porque eu descobri uma matéria super wake up call pra TODO MUNDO no Jornal Hoje: o orgulho de ser gordinha.

Pra ver o vídeo, clique AQUI.

Reparem que todas as meninas da matéria são absolutamente seguras em relação ao que são, tem consciência da sua “condição GG”, e são extremamente lindas e cheias de atitude! Elas são realmente gordinhas, mas servem muito de lição pra gente que tá 2kg acima do peso, com uma barriguinha irritante, uma celulite de leve a mais, e morre de depressão por isso.

Depois de muitas dietas sem sucesso, de julgamentos alheios e de se importarem com o que ditam os padrões de beleza, elas se rebelaram e descobriram a beleza que cada uma tem dentro de si, assim como o que lhes valoriza em todos os aspectos: um decote glamuroso, uma cinturinha mais fina pra ser valorizada, pernas delineadas, um rosto de boneca... Coisa que TODO MUNDO sem exceção deveria fazer, independente do seu tipo físico e dos “defeitinhos” que atribuimos ao nosso corpo.

Depois desse autoconhecimento, colocaram a boca no trombone pra ajudar pessoas como elas, abrindo lojas de roupas estilosas em tamanhos maiores, reunindo fotos pra mostrar que gente gordinha pode ser linda, inteligente e fashionista, ou seja, mobilizando a “gordosfera” pra se opor às milhões de ditaduras impostas por ai.



O blog da americana Gabi Gregg é o maior exemplo desse movimento. Lá ela reúne dicas de estilo, de beleza, as últimas tendências traduzidas pras gordinhas, e um monte de meninas exemplo de atitude pra inspirar os leitores.

A francesa Stéphanie, mais conhecida por Big Beauty, não só é modelo como tem um blog pra registrar seus looks ousados, repletos de acessórios e estampas e cheios de estilo. Le Blog de Big Beauty é leitura obrigatória, principalmente pra quem sabe que a moda não se limita aos tamanhos 34-44.

Beth Ditto é ousada. A vocalista da banda The Gossip quebra padrões posando nua pra capa da revista Love, usando estampas “engordecedoras” e desfilando por ai num bandage dress, super colado e delineando a barriguinha saliente.

Um exemplo de brasileira gordinha que é linda de viver e arrasa quarteirão é a modelo Fluvia Lacerda, que tem seu sucesso nas passarelas e em editoriais comparados ao de Gisele Bündchen. Mas se engana que por ser uma modelo GG, Fluvia tá liberada pra comer o que der e vier. Segue uma dieta equilibrada pra se manter sempre saudável e pratica exercícios constantemente, porque apesar de ser gordinha, ela é toda durinha!

Vale lembrar que quem está acima do peso só deve ter uma preocupação: a de ser saudável. Esse foi um dos pontos que essas “gordinhas felizes” mais exaltaram em suas entrevistas. Apesar da silhueta opulenta e do orgulho de exibi-la formosamente por ai, a alimentação não é carregada de exageros em calorias. É necessário manter uma atividade física regular, pra mexer o corpo, cuidar da saúde e deixá-lo mais definido.

O que mais me chamou atenção e me fez pensar em comentar essa história por aqui não foi exatamente o fat pride da matéria, mas sim o orgulho de nos aceitarmos do jeito que somos. É por isso que disse que TODO MUNDO (gordinhas, magrinhas, barrigudinhas, peitudinhas e bundudinhas) tinha que se ligar nesse post!

Cada uma de nós tem um ponto bonito no corpo pra valorizar, que chama a atenção dos outros, nem que sejam os olhos, como eu já disse no começo do post. Fazendo isso, você desvia o olhar do que não gosta pra parte onde você arrasa e se sente MUITO melhor. Depois, a gente analisa se vale a pena recorrer a uma mudança mais drástica no corpo, tipo plástica ou uma ginástica power, pra tentar mudar o que não gostamos. Mas, enquanto esse processo não acontece, não é mais fácil a gente se aceitar, atrair um monte de olhares e coisas boas do que ficar lá toda murcha e entristecida?

AUTO-ESTIMA meus amores, essa sim é a chave pra nossa felicidade!

Bom, agora deixa eu ir lá comer meu bolo! Semana que vem eu pago o post dos looks com as botinhas e tem post no forno linkado com esse pra ensinar como gordinhas podem arrasar no dia a dia evitando aqueles clichês de moda que tenho certeza que elas estão cansadas de usar!

Beijos!

Correspondente (Gêmea) Especial Marina

27 comentários

Parabéns! Muitas felicidades. E viva as leoninas!! Amanhã é o meu. Bjs

Marina, parabéééns!!

:D

desejo um dia muito especial e felicidade em todos os outros dias do ano!

beijoss

Martha Lima
Recife-PE

Uma única palavra: AMEI!!

Bjks

San

Gente amei a materia no jornal hj e essa enfasa dada por vcs...é a primeira vez q entro aki mas vou viciar certeza...
to ansiosa para as dicas de dia a dia para gordinhas=]

*parabéns...bjokas

Parabeéns Mariina! :D

Ah, bem legal essa mateéria! Assim como as mais fofinhas, eu entrava em crise por ser magrinha demais .. mas hoje desencanei \o/

To livre dessa depressão de ser um palitinho, to feliz assim .. cabe qualquer roupa em mim shaoihsoi

beijaão!

Muito legal o post, Marina =}

Mas assim, como gordinha, queria fazer alguns comentários:

Autoestima, ótimo, todo mundo tem que ter e principalmente quem está fora dos "padrões", porque estas últimas vão "sofrer" mais mesmo. Porém, não adianta só ter autoestima elevada se o peso atrapalha você, inclusive é um "declinador de autoestima"; eu adoro o blog da Sthéphanie, ela é bemmm mais gordinha que eu, mas se formos pensar em situações práticas a coisa aperta... Pensemos em quantas coisas práticas ela não pode fazer, exemplo: já vi uma mulher menos gorda que ela ficar presa na catraca do ônibus! (Coitada, né =/)

Eu procuro valorizar meus pontos fortes com roupa e maquiagem, mas é difícil encontrar roupas legais ou da moda em tamanhos grandes - e querendo ou não, a maioria das lojas de tamanhos grandes só tem aquele óbvio (que você vai citar no outro post) ou roupas bem para senhoras mesmo. Fora o preço né, que costuma "acompanhar o tamanho das roupas", ou seja, junta tudo isso e quase nunca dá para ir comprar uma camisetinha da nova coleção da C&A. rsss

Lingeries é um drama à parte também. Onde compra, me conta?
Mesmo as lojinhas especializadas (na net ou fora dela) só tem coisas feias e impossível de montar um conjunto, afinal, acham que toda menina que usar calcinha G ou GG tem que ter seios 48 e precisa daquele sutiã ultra reforçado e com alças de dois dedos =/

Eu não estou fazendo uma reclamação ou criticando seu post, ok? Adorei ele, só estou comentando como é a realidade de uma pessoa gordinha e espero que isso ajude na montagem do próximo.

Feliz aniversário!!!

Beijos
=*

Pode ser, tudo é questão de gosto. Eu me preocupo com a saúde e não acho que ser gordo possa ser saudável. Só me acho bonita magra e nunca deixo meu peso aumentar mais que um quilo ou dois: sou rigorosa com isso.
Mas se a pessoa não consegue mudar, não tem como viver de neura. Eu nunca consegui fazer meu nariz diminuir, por mais que desejasse. Então o jeito é conviver com ele, já que não posso fazer plástica. Mas sou realista, sei que ele é grande, não me orgulho disso, não acho ele lindo; apenas me conformo e tento ver as partes belas do meu corpo. Não dá para viver olhando para o nariz.

Não acho que gordura tenha de ser exibida como sinal de orgulho, não. A B.Ditto, pra mim ela causa é um desserviço - e não tem nada de estilosa (não por ser gorda, tem um monte de it girl magrela que eu tb não vejo a menor graça). Mas a gente precisa saber se colocar dentro dos sapatos dos outros. Se as pessoas tivessem escolha, todo mundo ia querer ser a Gisele Bundchen. E tem muita coisa pra ser considerada antes de força de vontade. Não existe isso de "só é gordo quem quer".

Nai, já que vc falou em C&A: fui comprar aquela saia linda do Reinaldo Lourenço, e fiquei frustradíssima porque, apesar de ter meu número, 44, a 44 simplesmente não fechava em mim! Faltou uns 2 dedos no final. Tipos, até na C&A os fashionistas (aka "homens que não gostam de mulher") estão metendo o bedelho. E não só isso: notei que as camisetas (ai, me desculpe, povo féxiom, os "tops") estão aumentando em comprimento e diminuindo em largura. Isso é super normal em Londres, onde as mulheres são mais compridas mesmo. Mas estamos em outro país, acho. Enfim, nada na C&A dá mais pra mim. Sou larga (ossatura mesmo, apesar de parecer desculpa de Garfield), ou as roupas apertam o peito, ou o número tem que ser maior e a roupa não cai bem.

Marina, vc só fez esse post porque é uma sílfide magrela, prontofalei! hahaha Te despeeeeçooooo!!!!!

Parabéns, minha coisa linda! Comemore muito vc sabe com quem! ;)

NUM SEI PQ ESQUECERAM DE MIM E DO MEU BLOG NESSE POST
MAGOEI RSRSRSTSRS
E MESMO SENDO GORDINHA,CONCORDO COM A MA....
COMO DIZIA O CLODOVIL...
SE ELE PUDESSE TERIA NASCIDO HETERO,BILIONARIO,LOIRO E DE OLHOS AZUIS....
EU TB TERIA NASCIDO TAMANHO P,COM 20 CM A MAIS E CABELO LISO COM 50 KILOS A MENOS ORA....RSRSRSRSRSRS

Feliz Aniversário!!! Parabéns, parabéns!!
Td de bom pra vc, sempre.

E que legal a matéria! Adorei. :)
Beijocas!

MARINA
Felicidades
sucesso fortuna paz e Deus no coração...
beijos

Thaís Lustoza
São Luís - Ma

Olá Marina! Em primeiro lugar, Parabéns! Hj é o seu e amanhã é meu =)

Boa matéria, mas incompleta. Como algumas leitoras disseram, só sendo gordinha pra saber dos problemas do dia-a-dia. Eu sei, pq eu sou.
Mas aí que tá: enquanto eu não mudo a situação, não vou me trancar e ficar chorando, a vida é pra ser vivida.
Virei uma gordinha por desleixo mesmo, e agora é correr atrás do preju.
Concordo com a Má: não acho a Ditto nenhum exemplo. Ela tem uma personalidade pior que a Courtney Love.
Já as outras meninas, gostei. E por falar nisso, vc conhece a filha do Steve Tyler?
Não a Liv. A Mia. Ela também faz parte desse grupo de gordinhas lindas e descoladas.

Olha só:http://www.magicalmiatyler.com/

Bjs

Parabéns Marina!
Tudo de bom!!! Muitas felicidades pra vc!
bjaooo

www.agifferentblog.blogspot.com

Concordo que gordura não deve ser exibida com orgulho, maaas isso depende de alguns fatores. Se a pessoa se alimenta mal e não faz exercícios e mesmo assim diz ter orgulho de ser gordinha, aí é burrice mesmo, falta de amor próprio, pois além de descuidar da saúde ainda sente orgulho por isso. Agora, há pessoas que realmente tem predisposição genética para engordar e é muito difícil pra elas chegar ao "corpo de modelo". Se essa pessoa se cuida, procura se alimentar direitinho e faz exercícios, e mesmo assim (o que provavelmente acontece) não consegue ficar magra (pelos padrões atuais), ela não precisa passar a vida se culpando, se sentindo mal com isso, ela pode e deve cultivar a auto-estima dela! Essa sim, não vejo problema algum em levantar a bandeira da auto-estima, da saúde como prioridade (e não um padrão esquelético), do amor e do respeito por si mesma. E não, eu não queria ter o corpo da Gisele, porque acho bonito coxas e bumbum que, de fato, EXISTAM, ahuahuaha. Acho bonito violão e não tábua de passar. Prefiro outro tipo de corpo, não aquele "mulher-melancia" que é horroroso, mas Juliana Paes no começo da carreira, antes de emagrecer, por exemplo. Ou mesmo de uma amiga minha que é liiiinda, tem cintura fina, quadril largo (típico corpo violão), seios, bumbum e coxas abastadas (mas proporcionais, pq quando digo isso logo pensam em mulher-melancia e coisas do tipo, argh).

Concordo que gordura não deve ser exibida com orgulho, maaas isso depende de alguns fatores. Se a pessoa se alimenta mal e não faz exercícios e mesmo assim diz ter orgulho de ser gordinha, aí é burrice mesmo, falta de amor próprio, pois além de descuidar da saúde ainda sente orgulho por isso. Agora, há pessoas que realmente tem predisposição genética para engordar e é muito difícil pra elas chegar ao "corpo de modelo". Se essa pessoa se cuida, procura se alimentar direitinho e faz exercícios, e mesmo assim (o que provavelmente acontece) não consegue ficar magra (pelos padrões atuais), ela não precisa passar a vida se culpando, se sentindo mal com isso, ela pode e deve cultivar a auto-estima dela! Essa sim, não vejo problema algum em levantar a bandeira da auto-estima, da saúde como prioridade (e não um padrão esquelético), do amor e do respeito por si mesma. E não, eu não queria ter o corpo da Gisele, porque acho bonito coxas e bumbum que, de fato, EXISTAM, ahuahuaha. Acho bonito violão e não tábua de passar. Prefiro outro tipo de corpo, não aquele "mulher-melancia" que é horroroso, mas Juliana Paes no começo da carreira, antes de emagrecer, por exemplo. Ou mesmo de uma amiga minha que é liiiinda, tem cintura fina, quadril largo (típico corpo violão), seios, bumbum e coxas abastadas (mas proporcionais, pq quando digo isso logo pensam em mulher-melancia e coisas do tipo, argh).

Esse é um assunto polêmico. Eu sempre fui gordinha mas hj estou bem acima do meu peso. É chato, não gosto mas tenho plena consciência que por mais q eu emagreça, nunca vou ser Gisele... mas no máximo a Beyoncé. Gosto de ser grande mas tenho q admitir: eu poderia ser um pouco mais magra.... mas não ambiciono pesar 50 quilos!

Parabéns
Saúde, amor e muita prosperidade!
bjos

Má: Eu não queria ser a Gisele! hehehe

Já que você comentou o ocorrido com você, vou te contar duas coisas que observei nesses últimos meses:

- Aqui onde moro nem tem lojas muito grandes, mas resolvi ir em uma Pernambucanas dar uma olhada nas lingeries e talvez comprar um sutiã, um simples mesmo (para "bater" rs)... Peguei uns vários 44 e fui até o provador... Quase morri do coração quando percebi que Nenhum "era do meu tamanho". Veja só: eu sou gordinha, mas tenho seios pequenos, inclusive foi por isso que comentei como é difícil achar lingerie legal - eu tenho vários 44 em casa, mas ficam grandinhos no bojo... Agora chegar lá e o 44 nem fechar atrás e sobrar tudo pelos lados? Eu hein! rs

- Estava em Brasília e na rua vi uma placa, propaganda de uma loja com "nome de loja para gordos", e ainda dizia assim: "Tamanhos grandes, do 42 ao 56."
Bom, está faltando o 58 e o 60, né? Além de tamanhos ainda maiores...
Masssssssss... 42 é tamanho grande? Como assim? heheheh


=*

Marina Campos - Twin da Moda   says 2 de agosto de 2009 21:48

hey hey hey gatas! brigadinha pelos parabéns!

gente, enganam-se vcs se acham que eu não sei o que é ser [bem] gordinha, o que passar por constrangimentos, não achar roupa etc. e pior, isso tudo antes dos 15 anos de idade e pq eu tomava mta cortizona, ou seja, eu não tinha como emagrecer! essa silhueta de [oi?] sílfide é fruto da eliminação do remédio, de mta boa vontade, de um pé na bunda e de esforço. e eu não tenho um corpo perfeito não, tenho uma barriga que insiste em estar presente, culote, celulite, peito murcho, a diferença é que eu sei disfarçar! entendo mto bem o lado das gordinhas, desse drama de amar uma roupa e não ter seu número, e se tem ficar péssimo no seu corpo.

lingerie é tenso de achar, sei disso pq uma das minhas melhores amiga tem seios grandes [e ela nem é gordinha] e pra achar um sutiã legal, só desembolsando MUITO dinheiro e mta paciência pra experimentar tudo! vou fazer uma pesquisa sobre o tema pro post...

qto a beth ditto, eu não disse que ela é estilosa, que eu a amo, a admiro e tal. quis expor a personalidade transgressora dela e acho sim um exemplo [de não tanto bom gosto, sei disso] a ser seguido, de aceitação de como vc é, não de moda. não to dizendo que é pra td mundo sair posando nua por ai, mas estou dizendo que se vc quer, vc PODE. essa é a mensagem que eu quis passar.

ó anotei todas as dicas de vcs pra fazer um post bem legal, vou me esforçar!

bjinhos e obrigada novamente!

Marina, parabéns!!! Muita felicidade, amor, saúde, paz e tudo de melhor!!!

Bom, eu li o post com outros olhos. Entendi a mensagem como uma coisa positiva de aceitação pessoal (não especificamente em relaçao à gordura, mas em relação às nossas "impropriedades fisicas"). Qualquer uma. Poderia ser um pé feio ou um nariz torto, sei lá, a mensagem seria a mesma: Aceite-se! Não vejo nada de mal nisso, pelo contrário. Achei bem bacana!
Eu sou gordinha e, mesmo que emagreça bastante, sempre serei curvilinea e sempre ficarei "devedora" da balança. Nunca na vida aqueles jeans de magricela (corte reto, tradicional da Fiorucci) me vestiram bem. Nem aos 18 anos, qdo eu pesava 50 kgs (ôô saudade!).
Mas concordo com isso do 'tamanho-padrão-ditatorial' que as meninas falaram. Outro dia na Le Lis Blanc pedi um vestido tam. G e foi um deusnosacuda. Parecia que eu estava pedindo uma coisa raríssima, pq a vendedora disse que nem adiantava procurar em outras lojas, pq esse tamanho quase nao vem. De fato, ela sequer anotou meu telefone pra procurar e me ligar caso encontrasse em outra loja. Fiquei tao p. da vida que nem voltei mais lá. Infelizmente para algumas grifes, o tam. 44 já é de gordo, fogo isso, viu!!!
O problema do sutiã é que aqui eles nao tem tamanho de bojo e das costas separado. É tudo 42 ou 44 ou 46 e por aí vai. Falha grave da indutria nacional. Pior é que como sutiã é genero de primeira necessidade, não dá nem pra boicotar, o que é uma pena, pq nossa industria bem que merecia um boicote do bom, viu!

Mas gostei do post e nao entendi como apologia à gordura nao, juro! Vi uma mensagem bem positiva de gente que tem confiança em si mesma.
Bjs!!!

P.S.: Em um episodio do SatC a Miranda vai comprar um sutiã e a vendedora só de olhar já sabia o tamanho dela (bojo e costas, só no 'olhometro'). Depois, checou com a fita metrica e pá: na mosca!!! Não seria otimo se o atendimento no Brasil fosse assim tbm?

Primeiro: parabéns!!! :) Felicidades pra vc e tudo de bom!

Agora comentando o post: eu estou do outro lado do "problema", digamos. Nunca na minha vida eu tive um IMC dentro do ideal, sempre foi abaixo. E eu não tenho nenhum problema de saúde ou alimentação.
Eu nunca tive nenhum problema de auto-estima por ser muito magra e tal, o q me incomoda um pouco é a minha falta de peito... mas nada que me enlouqueça. Mas parece que ser mto magra incomoda os outros, sabe? Na academia - faço academia para ser menos sedentária só - é um inferno, todo instrutor que eu pego quer que eu ganhe massa... vira uma briga. Todo médico que eu vou quer me passar dieta de engorda. Sendo que eu me alimento bem, como tudo o q quero, e nos fins de semana como até mais do q devia. As tias e avós sempre falam "nossa, como vc tá magrinha, minha filha". Enxe o saco... as pessoas deviam se importar mais com sua própria vida. Imagino que com as gordinhas seja ainda pior.... bem pior. Adorei conhecer a história dessas meninas! Só não vou muito com a Ditto.

Marina Campos - Twin da Moda   says 2 de agosto de 2009 22:59

aeeee reeeenateeenha!!!
enfim alguem que entendeu a mensagem que eu quis passar!!!!! isso ai mesmo flor!!!

Marina, eu entendi o propósito do post. Ótimo, aliás! ;] Mas meu comentário foi relacionado ao ter orgulho de ser gordinha. Depende. Se a pessoa é gordinha por falta de cuidado com a saúde, isso não deve ser motivo de orgulho. Mas se for por genética ou estrutura mesmo do corpo aí é outra história.

As pessoas confundem mt. ;~ Magreza não é sinônimo de saúde e ser cheinha não é sinônimo de "come tudo que vê pela frente" e sedentária. A magra as vezes não se alimenta direito ou a gordinha é saudável. ;]

Mari, parabéns atrasado, gatona!!!!
Adorei o post! Acredito que aqui, o maior tesouro foi falar de amor próprio, de dar valor ao que se tem!
É, nem todas nascemos lindas e magras....mas, não dá pra viver e ter paz se não conseguimos aceitar e gostar aquilo que não podemos mudar.
A cor dos olhos, um quadril mais largo...cm a mais, ou a menos....
Amor próprio e carinho com a gente mesmo...Foi isso que vi nessas mulheres!
beijo enorme

Não tinha visto esse post... Aceita os parabéns atrasado? rsrs

Quanto a matéria do Jornal Hoje, não vi também - aff, eu tô vivendo onde?! - mas amei, por ser gordinha e por seguir o blog da Gabi, há algum tempo. Muito bacana!

Beijocas e delicioso fds.

AdoOOOooorei!

Adorei o blog parabeens pra qm feez!

Postar um comentário

2010 Trendy Twins - todos os direitos reservados Desenvolvido por Projecto Comunicação