usuários online
 
 
 
Fashion Import
 
http://trendytwins.com.br/img/imagens/tit_girls.jpg
Faça parte desse grupo

Sobre sabotagem  

Categoria(s) , ,

por Ana Farias




Esse mês eu comprei a Nova porque não consegui resistir à lindíssima capa com a Milena Toscano.

Mesmo com o decote tchutchuca way of life, estava linda! O cabelo era o de sempre (“tenho meu próprio sistema de ventilação”), mas dessa vez não ficou over não, tá muito bonito, e a maquiagem perfeita. Uma capa sem excessos, tipo beleza possível, que deu gosto de ver. Sinceramente ainda acho que deveriam trabalhar melhor o guarda-roupa, porque gente, tããããoooo cansativo esse negócio “mulherão”. A Nova é o sexy a um passo do baile funk – pelo menos é assim que eu vejo.

Mas enfim, as matérias de relacionamento não costumam chamar muito a minha atenção porque acho tudo muito robótico e mais do mesmo. Mas dessa vez, até por motivos pessoais mesmo (não é tudo motivação pessoal?), vi uma que me interessou. “Sabotagem amorosa”.

Não sei quantas vezes algo do tipo já apareceu nessa e em outras revistas femininas, mas achei que de uma forma geral a matéria foi feliz. Quantas de vocês já pararam pra pensar em como a gente se sabota? Não só em relacionamentos amorosos, mas com amigos, com trabalho, com tudo mais? No fundo no fundo, a gente é sempre nosso pior inimigo. Não só por admitir certo tipo de pensamento negativo sobre si mesma (“não sou boa, magra, bonita, inteligente, capaz, etc o suficiente”), como também por permitir que outras pessoas nos convençam dessas e de outras coisas parecidas, e até piores.

No caso da matéria, relacionamentos amorosos. O ponto de partida é uma teoria que aprendi na prática, e que sempre falo pras minhas amigas: se todo namoro que a gente arruma é problemático, o problema é a gente. Simples assim. Porque se algo acontece uma vez, é acaso; duas você pode até dizer que foi azar; mas a partir da terceira, quéris, aí já vira comportamento padrão. E eu tive muito namoro ruim até perceber isso, que o problema é a forma como a gente se posiciona, é o tipo de pessoa que a gente busca, consciente ou inconscientemente (ou seja, sabendo que é assim e não fazendo nada pra mudar, ou não tendo ainda percebido que agimos dessa forma).

Essa matéria da Nova foi escrita a partir de uma entrevista com a autora de um livro chamado Relationships Saboteurs, Randi Gunther. Gente, o sonho da minha vida era escrever um livro de auto-ajuda em inglês, aparecer na Oprah e ficar podre de rica, mas enfim. As dicas que ela deu não são nenhuma novidade, mas quem sabe não dão uma luz pra alguém entre vocês, né? Então vamos lá.

Resumindo os comportamentos sabotadores de relacionamentos amorosos (não copiei a matéria, só citei os padrões e fiz comentários, ok?):



1 – Você é insegura. Essa é a mãe de todas as sabotagens, em todos os aspectos da vida. Eu sei porque já fui muito, e hoje ainda sou o suficiente pra me atrapalhar sozinha. Se não fosse a confiança que gente muito querida me passa por osmose (e por algumas broncas também), nem sei. “A insegurança é a experiência emocional da perda antecipada”. Ih, não vai dar certo. O trem nem aconteceu ainda, e a insegura já tá encalacrando no pessimismo. No namoro, o inseguro precisa de aprovação e de provas de amor o tempo todo, senão pira. Mas como no fundo todo mundo é egoísta, o namorado acaba percebendo que é impossível tentar preencher esse buraco, e desiste antes de pirar ele mesmo. Né?

2 – Você gosta das coisas do seu jeito. Quem divide um relacionamento (e/ou um espaço), precisa aprender a abrir mão às vezes. Não dá pra fazer as coisas sempre do jeito de um apenas. O controle tem que ser meio a meio, ninguém na mão de ninguém. Porque uma hora o controlado se sente sufocado, roda a baiana, e pede pra sair. Ou pede pra você sair. E gente que não sabe ceder acaba sempre sozinho, minha mãe me ensinou.

3 – Você faz tudo pelo parceiro. Por outro lado, não dá também pra sair abrindo mão de tudo. Isso te coloca na outra ponta do último item. Uma hora você vai querer cobrar tanto "altruísmo", mas aí a pessoa já estará mal acostumada, e não vai se sujeitar a cobranças. Também tive meu quinhãozinho desse perfil, mas aprendi depois de atrair muito manipulador pra minha vida. Não entre em relações onde você assuma o papel de vítima e o outro de aproveitador, verbalize sempre suas necessidades. Se o cara não se interessar, pegue outro no pacote de biscoito.

4 – Você tem medo de se entregar. Apesar da cafonice na escolha do verbo, é isso aí: você tá sempre com pezinho atrás e não percebe que cada história tem potencial pra ser uma história diferente – desde que, obviamente, você não tenha caído em algum padrão frenético de escolhas erradas. Uma hora o cara cansa de te provar que pode dar certo, e aí você fica sozinha again. Não é o que você faria? Essa eu anotei. Projeto pra 2011, parar de começar TODOS os meus pensamentos com a frase "bom, de acordo com a minha experiência nesse tipo de situação"...

5 – Você gosta de ser ouvida – sempre. Auto-explicativo. Ninguém gosta de gente que vive pra ser o centro das atenções, que não passa a bola, que não sabe dividir, que se acha, que...

6 – Você é inocente. Mesmo que não esteja mal-intencionada, permite certas segundas intenções externas: ex que vive ligando, amigo com quem você tem intimidade puxando conversas safadeeenhas no MSN, paquera platônica do trabalho mandando email, perfil em redes sociais cheio de gente sensualizando pra você, etc. Ou seja, tudo que te deixaria magoada e/ou P Da Vida se fosse o contrário. Esconder essas coisas é chabu, porque omissão, assim como mentira, tem perna curta. Aí um dia o cara descobre do nada, olha o problema. E aí ele termina o namoro. Não é o que você faria [2]?

A sugestão é aprender a reconhecer esses traços comportamentais em você, e a neutralizá-los. Resumindo muito (e sendo muito óbvia também), aprender a se posicionar na hora que você precisa se posicionar, ceder quando precisa ceder, e, principalmente, não errar onde não gostaria que errassem com você. É por aí que a gente encontra o equilíbrio necessário pra estar numa relação saudável.

Ei, a matéria não diz que seria fácil! rs

O negócio é se disciplinar pra ser feliz. Não permitir pensamentos negativos, baixar a guarda enquanto não tiver provas concretas de que aquela pessoa não merece seu comprometimento, não permitir que passem por cima de você, mas também reconhecer quando você está querendo, por capricho, passar por cima do outro.

E bora ser feliz em 2011! Seja buscando um namorado fora de um padrão que nos traga sofrimento, seja dosando melhor um bom relacionamento no qual a gente já se encontre. Ninguém quer ser infeliz, certo?

A matéria está nas páginas 108-110 do exemplar de janeiro de 2011 (ano 39, n°1).

imagem

28 comentários

Oi Ana!
Super concordo com todos esses pontos e também já fui (mais) insegura. Hoje me policio pra não ter paranóias, nem ficar na cola, nem chata. Com o passar do tempo se torna tão comum e automático que nem é mais um esforço, a gente se torna mais confiante mesmo e não fica cobrando nada, deixa as coisas acontecerem sem pressão. E quando a gente deixa rolar, rola! (claro, sem se tornar a pessoa mais abandonada, porque se for pra viver abandonada não compensa, tem de mudar de amigo, namorado, emprego - o q for).

Beijinhos amore

Saudades

isso aconteceu e acontece comigo, nunca fui encanada com coisas quando criança, minhas amigas me chamavam de bolinha, de gorda, eu ficava triste, mas era criança, no outro momento já tava lá de novo... quando cresci começaram a falar que eu era feia, muito feia, inclusive homens falavam na minha cara que eu era feia, e sofri várias rejeições amorosas... hoje não saio de casa, não acredito no amor, não acredito em mim, e sei que sim, eu sou a pessoa mais feia que já pisou nessa terra, inclusive por defeitos fisicos, já que sofro de hirsutismo grave

Eu sempre tive esse pensamento:Precisamos amar muito,mas precisamos ainda mais, nos amar incondicionalmente.

Beijos....

Juliana Marotti   says 11 de janeiro de 2011 16:12

Ana, achei o post simplesmente demais. Até acho que eu precisava "ouvir" muita das coisas que você disse!

E amiga anônima do comentário acima... por favor, não deixem que te sabotem.... e não sabote também. Não estrague sua vida por causa de "dementadores" que só de deixam para baixo. Aperte a tecla foda-se e vai ser feliz..... não deixe a vida passar... faça isso por você, porque você merece!
Ninguém quer ficar dentro de casa, ninguem que ser/ficar triste.
Então não fique!!! Vai curtir a vida!

Espero que este post da Ana te ajude a refelir, e que você aproveite esse inicio de ano, e faça um novo recomeço para a sua vida!

Beijão

Eu faço parte das inseguras, só que o problema é que as pessoas acham, em um primeiro momento, que é charme e que tô querendo confete, só pra depois, com o tempo, intimidade e confiança perceberem que o buraco é mais embaixo.
Não me acho bonita, sexy, atraente, gostosa e similares e sempre, SEMPRE acho que a outra mulher (seja ela quem for) é mais bonita/talentosa/inteligente/gostosa que eu.
Assim como sempre acho que meu namorado acha a msm coisa, msm ele fazendo de tudo para me deixar mais confiante.
Não dá certo, nunca deu.
Acho que um dos grandes "sonhos" da minha vida é acabar com isso.

Adorei o post!

Anônima, às vezes é difícil ficar para cima quando tanta gente te coloca para baixo, mas uma coisa é certa: "nada torna uma mulher mais bonita do que a crença de ser bonita". Realmente não acredito que você seja "a pessoa mais feia que já pisou nessa terra". Tenho certeza que isso é coisa da sua cabeça e que você tem muitos pontos fortes. Não dê ouvidos a quem não tem nada de bom a te dizer. Confie em você mesma, na sua beleza e no seu potencial. Tenho certeza que na hora certa você vai encontrar um cara bacana que tenha tudo a ver com você.

Eu faço isso constantemente! Toda vez arranjo uma desculpa, ou acabo colocando um pensamento ruim na cabeça! Esse ano resolvi mudar isso e para ajudar, fiz uma lista de todos os problemas que me atormentavam, é muito legal perceber o que realmente te incomoda e o que você pode fazer para mudar isso! Então, Anônima, essa é uma dica que dou, procure seus problemas e veja as soluções! Não fique fechada em casa, que é pior!
*Adorei o post! Muito legal!

Adorei o post! concordo com TUDO q vc mencionou! E eu tenho uma teoria que é: As pessoas agem e falam pra você aquilo que vc permite, conciente ou inconscientemente!! é a lei da atração!!! Vamos pensar melhor nisso!!!!

tb jah tive meus dias d insegurança.. mas acho q jah melhorou mtoo.. hehe

www.makeupdebombom.blogspot.com

bjinhos...

Concordo com vc mimizinha!Eu já pela "fase" da insegurança. Hoje sou mais eu, acredito mais em min!Posso tudo!(ou quase tudo? ..R$..)rsrs...

Ana, Bjs. Ótimo o post.

Boaaaa !!!!!!!!!
Nós temos que nos impor com delicadeza e educação, e também deixar o outro fazer o mesmo.
Equilíbrio sempre.
Insegurança nunca, baixa estima é insuportável!
Ninguém é bonita para todos e nem feia para todos.
Não é magra para todos nem gorda para todos. Ninguém é melhor nem pior que ninguém!
Arriba !!!!!!!!!!!!!!!
Viver a vida, ela é curta !!!!!!

Tenho doutorado em sabotagem amoroso! Praticamente a mestre das sabotadoras!

Ai, amiga. Temos que pensar em nós em primeiro lugar! Se nós não nos valorizarmos, ninguemó fará.
Beijinhos...
Carolina
(http://coisinhascarolina.blogspot.com)

Err, esse post foi meio q direcionado pra mim.
Nem falo nada ...

Beijo grande,amiga!!!!!!

esse texto resume tudo aquilo que eu sempre lutei contra, a auto-sabotagem!
Adorei!!!
Posso repassar p as minhas amigas né? (os créditos serão seus, claro.)

bjs e valeu por compartilhar.

A minha psicologa sempre me alerta que eu tenho um alto nivel de auto-sabotagem.Ela diz que eu sou intolerante,entao sempre que eu penso em chutar o balde no meu namoro eu me questiono dez vezes.
Não quero acabar como a Gretchen,indo pro seu milhonesimo casamento!
hahahhahahahaha
Bem,devemos reconhecer a nossa parcela de erros no relacionamento ne...rs
Beijos

Gostei da matéria tbm, vi a nova esse mês, as vezes compro, e sobre as capas..rsrs.. eu sempre levo um susto na banca, não sei se é playboy ou nova!!! hehehe

Eu me saboto muito na dieta, qd vejo q estou emagrecendo. Logo dou um jeito de parar. Parece q no fundo eu acho q não mereço ser magra. Dificil explicar, mas é isso q sinto.

Parabéns pelo texto. Amei !!!

Acho mega legal esses posts pq mostram situações reais com problemas e pessoas! Acho que todo mundo se sabota de certa forma, mas algumas pessoas conseguem aprender a lidar com isso com o passar do tempo outras não...
Bjus

Adorei esse post.. era exatamente o que eu precisava ler agora.. não pro meu relacionamento, mas pra minha vida como um todo! parabéns!

Adorei o post!!!

Perfeito para o inicio do ano!!!

Ana, quéris linda, amo ver esse tipo de matéria com um crivo de avaliação crítica em cima! Sempre que tiver uma pauta assim, continua colocando no blog, isso ajuda muita gente! Eu mesmo também sou uma sabotadora da minha dieta!
E anônima do segundo comment, please, se for preciso comenta mais, porquê é muito triste passar por isso. Você tem que primeiro se aceitar pra depois achar alguém que realmente saiba amar você.
E acredite, com certeza, que você não é a pior pessoa do mundo, pois mesmo anonimamente você teve coragem de vir aqui desabafar isso...

Ana,
AMEI seu post e seus comentários!
Também vou compartilhar com amigos que precisam ler (não são só mulheres os auto-sabotadores) com link para cá, claro.

E gostei muito dos comentários - pois primeiro precisamos reconhecer nossas falhas para então nos "educarmos". Creio que muito do que está escrito vale para todo tipo de relacionamento próximo (amigos íntimos, chefe direto, etc).

Endosso o pedido acima da Gi: Ana escreva mais posts como esse.

Beijos a todas(os) e um maravilhoso 2011 :)

Vivi, pena que a gente não nasce sabendo dessas coisas, né? Muita coisa a gente só aprende com o tempo mesmo, um saco! Vou praí em fevereiro, viu?

Anônima, se seu comentário tiver sido sincero, me manda um email?

Carol, como disse a Dani Prata hj no twitter: quem se apaixona por si mesma não tem rival! ;)

Ju, que bom! Tem post que eu quero escrever e não escrevo achando q pode ser bobo, olha a insegurança! Hahaha

Dai, isso a gente aprende a relevar com o tempo. Quando não nos sentimos bem na própria pele é difícil mesmo, mas pode ter certeza: quem envelhece AMADURECENDO aprende a não ouvir tanto esse tipo de pensamento negativo sobre si mesma, e acaba muito mais feliz com isso!

Alê, quando a gente se sente mal esse pensamento impera mesmo.

Giovanna, tenho uma amiga que faz listas pra tudo, isso é até exercício de terapia, sabia?

Mimizinha, com certeza! Só maltratam a gente quando existe permissão, mesmo q a gente não se dê conta disso!

Lyy, que bom!

Wagna, quase tudo, né? rs Pq o Keanu eu ainda não posso!

Turquezza, ou “cada pé encontra seu chinelo”, né?

Penelope, muda isso!

Carol, isso mesmo, quem não acha que merece, não vai encontrar muita gente que a convença do contrário...

Aninha, vc é diva, vc sabe.

Keren, fique à vontade! Obrigada!

Kel, eu tb tenho que lutar constantemente pra não fixar no absolutismo, sabe? Prejudica muito a gente.

Vivianny, esse susto eu levo todo mês! Hahaha

Andreza, querida, sabe que tb já fiz MUITO isso?

Mô, eu tb gosto, vou tentar escrever mais!

Anônima, que bom! Fico feliz de poder ajudar de alguma forma. :)

Outra anônima, obrigada!

Gi, florzinha, eu sempre penso em fazer isso constantemente!

Pac, brigadona mesmo! Pode deixar que vou procurar sempre matérias assim, e procurar postar mais sobre. ;)

Vivi, pena que a gente não nasce sabendo dessas coisas, né? Muita coisa a gente só aprende com o tempo mesmo, um saco! Vou praí em fevereiro, viu?

Anônima, se seu comentário tiver sido sincero, me manda um email?

Carol, como disse a Dani Prata hj no twitter: quem se apaixona por si mesma não tem rival! ;)

Ju, que bom! Tem post que eu quero escrever e não escrevo achando q pode ser bobo, olha a insegurança! Hahaha

Dai, isso a gente aprende a relevar com o tempo. Quando não nos sentimos bem na própria pele é difícil mesmo, mas pode ter certeza: quem envelhece AMADURECENDO aprende a não ouvir tanto esse tipo de pensamento negativo sobre si mesma, e acaba muito mais feliz com isso!

Alê, quando a gente se sente mal esse pensamento impera mesmo.

Giovanna, tenho uma amiga que faz listas pra tudo, isso é até exercício de terapia, sabia?

Mimizinha, com certeza! Só maltratam a gente quando existe permissão, mesmo q a gente não se dê conta disso!

Lyy, que bom!

Wagna, quase tudo, né? rs Pq o Keanu eu ainda não posso!

Turquezza, ou “cada pé encontra seu chinelo”, né?

Penelope, muda isso!

Carol, isso mesmo, quem não acha que merece, não vai encontrar muita gente que a convença do contrário...

Aninha, vc é diva, vc sabe.

Keren, fique à vontade! Obrigada!

Kel, eu tb tenho que lutar constantemente pra não fixar no absolutismo, sabe? Prejudica muito a gente.

Vivianny, esse susto eu levo todo mês! Hahaha

Andreza, querida, sabe que tb já fiz MUITO isso?

Mô, eu tb gosto, vou tentar escrever mais!

Anônima, que bom! Fico feliz de poder ajudar de alguma forma. :)

Outra anônima, obrigada!

Gi, florzinha, eu sempre penso em fazer isso constantemente!

Pac, brigadona mesmo! Pode deixar que vou procurar sempre matérias assim, e procurar postar mais sobre. ;)

Muito legal esse post. Vou te passar a dica de um livro muito bom sobre o tema,acho que vai gostar: " O CICLO DA AUTO-SABOTAGEM", de Stanley Rosner e Patricia Hermes.
Bjss.

Mary

Mary, vou procurar, brigada! beijo

Genteeee... Amei esse post!!
Eu vivo pensando nisso!! Dia desses msm concluí q o problema dos meus relacionamentos sou eu, que estou sempre agindo da mesma forma. Por isso já estou decidida a mudar, e me esforçando cada dia mais pra não ser a sabotadora dos meus relacionamentos!
Putz.. qto tempo não vinha aqui! :(
Bjo, Ana!!!

Postar um comentário

2010 Trendy Twins - todos os direitos reservados Desenvolvido por Projecto Comunicação